sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

The Point Of No Return



Não! Apesar de até o vídeo estar aqui, esse post com esse nome não é para falar de Fantasma da Ópera. Eu só coloquei o vídeo para mostrar o que inspirou o nome do post, e porque a música é legal também.
Enfim, quando você planeja algo diferente, acima de certas sutilidades rotineiras, existe sempre um ponto sem volta. Desde coisas pequenas, até coisas grandes. Por exemplo, uma coisa pequena, ontem mesmo, fui ver Terça Insana, a gravação do segundo DVD (por sinal ótimo), que começou as 19h. Não havia pensando muito bem onde dormir ainda, mas eu já tinha planejado que iria. Bem, chegou o ponto sem volta. O show atrasou, sai de lá as 10 horas, e tinha uma chance grande de não conseguir nem mesmo voltar para Jundiaí, ficando assim, preso em Morato. Mas, era um ponto sem volta, e eu não podia fazer nada além de seguir em frente, já tinha iniciado o processo, não podia mais parar. Mas esse é um tipo simples, que não parece ter um impacto muito grande. O problema é os pontos sem voltas da nossa vida. Bom, eu demorei cerca de 6 anos para finalmente chegar no meu ponto sem volta mais desafiador. E o engraçado é que não me refiro a faculdade, e também não ao fato de morar sozinho, o que mais me desafia e me deixa maluco é algo que eu não compreendo, e que tenho forte desconfiança que nunca vou entender. É claro que todo o ambiente criado também ajuda a deixar esse ponto sem volta definitivamente sem volta. Mas nos últimos dias realmente percebi que entrei de vez em um mundo que eu apenas ficava espiando. Estou agora morrendo, me matando, para tentar renascer. Bohemian Rhapsody de repente se encaixa nesse contexto, em cada uma de suas frases. Como nunca ouve um significado real, ou pelo menos ninguém chega num acordo, acho justo aplicar o significado dessa música a minha vida atual, já que fica poéticamente perfeita para descrever o que estou passando. Enfim, chegou meu Point Of No Return. E, mesmo com as dores de estômago, mesmo com o medo completo, mesmo com a esperança ilusória, mesmo com as realidades batendo em minha face e cortando minha pele, mesmo com as dificuldades, mesmo com os obstáculos que eu nunca consigo ultrapassar, mesmo entrando na escuridão completa... eu estou disposto a ir em frente. Estou disposto a dizer adeus a tudo que tinha antes e acreditar que o futuro será um renascimento

(Goodbye, everybody, I've got to go
Gotta leave you all behind and face the truth)

não posso prever a conseqüência dos meus atos, e nem se isso irá melhorar ou piorar a minha já tão confusa vida. Mas não vejo mais sentindo em ser cauteloso, em ter medo de pisar em falso. Sim, se for necessário, deixo tudo, minha vida inteira, e passarei a ignorar todos, irei me esconder da minha própria monstruosidade

(Mama, ooh, Didn't mean to make you cry
If I'm not back again this time tomorrow
carry on, carry on as if nothing really matters)

E sei que isso talvez não irá ser a solução para os problemas, e sei que minha vida ainda trará tantos problemas como sempre tive, e que vou ter que encarar muitos novos problemas, dos quais ainda a dimensão nem consigo imaginar...

(Mama, ooh, I don't want to die
I sometimes wish I'd never been born at all)

Por isso fico tão confuso... me perco em meus pensamentos... o que é o que? Me sinto indefeso do mundo, e ao mesmo tempo não ligo para ele...

(Is this the real life? Is this just fantasy?
Caught in a landslide, No escape from reality
Open your eyes, Look up to the skies and see,
I'm just a poor boy, I need no sympathy
Because I'm easy come, easy go, Little high, little low
Any way the wind blows doesn't really matter to me, to me)

Então... com tantas chances, com tantas possibilidades, porque eu simplesmente não tento fazer a coisa certa, porque não aproveito e tento ajeitar minha vida? Porque eu não peguei esse ponto sem volta e converti para uma estrada segura?

(Mama, life had just begun
But now I've gone and thrown it all away)

Não, não me interessa... eu simplesmente não podia, eu tinha que acabar com isso... eu tinha que acabar com minha vida...

(Mama, just killed a man, Put a gun against his head
Pulled my trigger, now he's dead)

E agora estou numa confusão mental, de não entender, não saber, e tudo isso tem uma dor física, uma dor insuportável

(Too late, my time has come
Sends shivers down my spine, body's aching all the time)

E é nesse momento de confusão, de lutar contra minha própria vida, tentar matar meu eu antigo, de entender minhas atitudes que tudo parece se basear

(I see a little silhouetto of a man
Scaramouche, Scaramouche, will you do the Fandango
Thunderbolt and lightning, very, very fright'ning me
(Galileo.) Galileo. (Galileo.) Galileo, Galileo figaro
Magnifico. I'm just a poor boy and nobody loves me
He's just a poor boy from a poor family
Spare him his life from this monstrosity
Easy come, easy go, will you let me go
Bismillah! No, we will not let you go
(Let him go!) Bismillah! We will not let you go
(Let him go!) Bismillah! We will not let you go
(Let me go.) Will not let you go
(Let me go.) Will not let you go. (Let me go.) Ah
No, no, no, no, no, no, no.
(Oh mama mia, mama mia.) Mama mia, let me go
Beelzebub has a devil put aside for me, for me, for me)

E então a revolta parece a melhor solução, ignorar, acreditar que não vale a pena continuar a vida antiga, porque ela não trás coisas boas... ela me controla

(So you think you can stone me and spit in my eye
So you think you can love me and leave me to die
Oh, baby, can't do this to me, baby
Just gotta get out, just gotta get right outta here)

E então assim eu me livro, eu renasço, e mesmo assim... eu continuo percebendo... eu continuo vendo a realidade... e nada realmente importa... sempre estava claro, sempre esteve lá, qualquer um pode ver...

(Nothing really matters, Anyone can see
Nothing really matters
Nothing really matters to me)

Mas já está tudo feito... o ponto sem retorno chegou... e percebo, enfim... que de qualquer forma... o vento sopra... (Any way the wind blows)...

Um comentário:

Felipe disse...

ué??
e cade o kansas?? haha

flws!